Pesquisar neste blog

quarta-feira, 7 de março de 2018

Agora que o assunto bombou, estão estranhando?

Dizem que tudo na Igreja é mesmo demorado. Mas quanto tempo é necessário? 1 ano? 10 anos? 100 anos? De quanto tempo uma alma precisa para ir ao inferno?






Bernardo Kuster deveria falar em particular... Devemos silenciar a respeito... Ora, não é de hoje que os católicos têm denunciado esse conluio de bispos da CNBB com os comunistas, é só procurar no Google, YouTube... há uma montoeira de vídeos e textos com essas denúncias, de hoje e de anos atrás, e ninguém nunca deu bola.

Dizem que tudo na Igreja é mesmo demorado. Mas de quanto tempo os bispos da CNBB precisam? 1 ano? 10 anos? 100 anos? De quanto tempo uma alma precisa para ir ao inferno?

Se é para falar em particular, Percival Puggina enviou em 2010 uma Carta à Congregação para a Doutrina da Fé, que não deu em nada. Depois, publicou aqui:  https://goo.gl/phRM2b e mesmo assim, quase ninguém tomou conhecimento e nada aconteceu.
No seu blog podemos ver muitas outras publicações a respeito, como esta em que Puggina comenta sobre os “Erros da Campanha da Fraternidade”:  https://goo.gl/TQ4ggk.

Alguma resposta? Não. Alguma mudança? Não.

Dr. Hermes Nery questionou essa politização da CNBB durante um bom tempo, é só procurar na internet. Aqui ele questiona a CNBB sobre a Reforma Política “encabeçada pela CNBB-OAB e que favorece o projeto de poder totalitário do PT exposto no Caderno de Teses e nas atas do Foro de São Paulo, projeto este declaradamente socialista, inclusive, dentre outros pontos de sua agenda, a legalização do aborto no País, etc."     https://goo.gl/CqXUWx

Sobre a Cáritas no Brasil - lembrando que a Coleta do Domingo de Ramos vai boa parte para a Cáritas - também não é de hoje que se denuncia o seu apoio ao FEMINISMO e ao ABORTO das “mulheres com direito a decidir”: https://goo.gl/73wkso

Por fim eu mesma, uma pobre leiga dona de casa instruída apenas pelas Escrituras, Catecismo e algumas Encíclicas, depois de também ter enviado uma carta à Congregação para a Doutrina da Fé sem NUNCA ter recebido uma resposta, em outubro de 2014, com o coração apertado diante da iminência de um golpe comunista em nosso País, mandei uma carta para o Papa Francisco, que está aqui:

Agora que o assunto bombou, estão estranhando?

Bento XVI, numa visita ad limina ao Brasil em 2010, colocou por escrito qual era a função da CNBB, lembrando que os assessores e as estruturas da Conferência Episcopal existem para o serviço aos Bispos, não para substituí-los. Essa carta do Papa está no site do Vaticano, podemos vê-la aqui: https://goo.gl/Gyfs2B

Adiantou? Não.

Estamos enjoados, e enojados, com esses Boffes e Bettos dando as cartas nas nossas liturgias e na nossa doutrina, dizendo como temos que pensar e agir. Não precisamos disso! Essa conversa de excluídos, marginalizados, proletariados, minoria oprimida......... é cartilha comunista!  

TODO católico conhece os muito bem os Mandamentos, a reta doutrina da Igreja e, se é para falar dos pobres, as Obras de Misericórdia Corporais e Espirituais. Atender aos fracos e pobres é MISSÃO nossa, e viver como um pobre de espírito é nosso DEVER, porque deles é o Reino dos Céus!

Além disso, somos a Instituição mais caritativa do Planeta e TODO CATÓLICO tem à sua disposição, na sua Paróquia, oportunidades para a ação social. Todo católico que recebe o Sacramento da Eucaristia possui essa caridade intrínseca, que não procede de suas “boas ações”, mas do Cristo mesmo. Onde quer que vá, leva Cristo consigo. Quem precisa de Teologia da Libertação numa Igreja como a nossa?

Joseph Ratzinger escreveu  “Eu vos explico a Teologia da Libertação”, onde diz: “O cristão não pode ser, de forma alguma, insensível à miséria dos povos do Terceiro Mundo. Todavia, para acudir cristãmente a tal situação, não lhe é necessário adotar um sistema de pensamento que é anticristão como a Teologia da Libertação; existe a doutrina social da Igreja, desenvolvida pelos Papas desde Leão XIII até João Paulo II de maneira cada vez mais incisiva e penetrante. Se fosse posta em prática, eliminaria graves males de que sofrem os homens, sem disseminar o ódio e a luta de classes”. Card. Ratzinger

E agora, em plena Quaresma de 2018, Deus suscita um jovem de espírito corajoso para pôr o caldeirão a ferver. Ora, já era tempo! Tentamos de todas as maneiras, sempre respeitando a hierarquia e evitando contendas, mas não deu certo. Não daria nunca! Sim, porque não há um jeito polido e educado para se falar com comunistas.

Bernardo foi contundente sim, mas acreditamos que o Espírito Santo, que é Guia da Igreja, foi quem pôs o fogo no caldeirão. Senão, Bernardo teria sido apenas mais um, dentre tantos.

Neste Ano do Laicato, rezemos pelo protagonismo leigo, e que Deus nos abençoe!





sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Deixe-me em paz.


Ter que ouvir um católico dizer de mim: “Como é que ela pode comungar com esse pensamento fascista e nazista” e me mandando estudar, é pra acabar com o ânimo de qualquer um.

Não é questão de “ponto de vista”. Não é que eu “ache”, ou que eu “opine” contra ou a favor. Eu sou antes de tudo católica! Quem sou eu para ditar normas? Quem sou eu para dizer o que é certo ou errado? Também eu sou uma aprendiz da Boa-nova.  E como boa aprendiz, eu estudo! 

Quando eu era esquerdista e apoiava o PT, também gostava das camisetas de Guevara e achava o máximo o uniforme de guerrilheiro do Fidel. O discurso marxista do proletariado era lindo pra mim. Até que me mandaram estudar. Diziam que eu estava apoiando uma ideologia de morte que a Igreja abomina. De início eu fiquei irritada, mas fui. E fui correndo. Fui com humildade ver o que a Igreja dizia a respeito. Deixei a minha ideologia de lado e me abri à Verdade. Não foi fácil, mas foi um alívio tê-la encontrado. Sim, eu estava no caminho errado, e a Igreja-Mãe nos orienta a respeito de TUDO o que precisamos saber. Vá lá no sistema de Busca do site do Vaticano e digite qualquer palavra que você precisa esclarecer. Foi o que eu fiz, inúmeras vezes.  

Ah, mas é só ler a Bíblia! E eu já não lia? E se eu fosse seguir tão somente a Bíblia, será que eu saberia discernir? Há centenas de seitas neste mundo que “seguem a Bíblia” e cada uma jura que está com a verdade, seria eu mais uma? Não. Para não incorrer em heresias de interpretações mal-entendidas, eu fui direto à fonte, procurando no Magistério de 2 mil anos da Igreja a resposta para as minhas inquietações. O Magistério é realmente infalível!  

E eu estudei. Li o Catecismo inteiro, parágrafo por parágrafo, levei mais de um ano estudando pra valer! Lá fala sobre a propriedade, sobre a família, sobre a legítima defesa, entre outros. Leia também, estude também. Leia a Moral Católica, de Frederico Tillmann, ali fala TUDO o que um católico precisa saber para ser um católico autêntico e coerente. Li a Encíclica Divini Redemptoris sobre o Comunismo Ateu, a Encíclica Quadragésimo Ano do Papa Pio XI, a Instrução sobre a Teologia da Libertação, de Ratzinger, a Doutrina Social da Igreja (não como Leonardo Boff gostaria que fosse, mas como ela realmente é), enfim, eu teria uma lista gigante de documentos e instruções que a Igreja nos oferece. Faça a sua lista também. A Igreja é Mãe, e quem está com ela, está seguro, quem segue as suas instruções não fica confuso, não sai do eixo.

Você diz que há catequistas, padres, bispos, cardeais e até a CNBB que pregam a sua ideologia, e que isso lhe garante estar no caminho certo. Vou lhe dizer uma coisa: nem de Paulo, nem de Apolo, nem de Cefas (1Cor, 3, 4). Seja lá quem for que diga qualquer coisa contrária ao que a Igreja ensina, que seja  considerado “anátema” ou “excomungado” (Gálatas 1, 9). Se é para citar a Bíblia, é o que a Bíblia diz: anátema.

Então, para que eu mesma não fosse “anátema”, fui estudar, fui aprender a doutrina com quem a estuda desde Pedro. Não é o que EU penso que vale, mas a autoridade da Igreja. Há que ter humildade e coragem para aceitar que 2 + 2 = 4, embora o mundo todo diga o contrário, e isso só se consegue com muita oração e sacramentos, porque a humildade é virtude que nos vem através da graça divina do Espírito Santo de Deus, é Cristo que nos ilumina com a Sua luz: "A Verdade vos libertará!"

Mas é muito falatório para pouca prática. É muito discurso de proletariado, enquanto o pobre está lá, à míngua. 13 anos de PT e 13 milhões de desempregados! Não é estranho isso? Nós, como católicos seguidores de Jesus, precisamos AMAR os pobres como ELE amou, sem discursos, sem demagogias, mas com ATITUDES pessoais: visitá-los em suas casas, dividir os NOSSOS bens com quem necessita, ir nos presídios, ir lá aconselhar os bandidos, falar a eles de valores como família, integridade, honestidade, trabalho, virtudes; ir nos hospitais levar lençóis, fronhas, porque eles precisam de tudo!, dar do seu tempo a um coração angustiado, aliviar as dores de quem sofre, é isso que Jesus pede a todos nós. Façamos a nossa parte. Estamos todos aqui nesta terra com vistas para o Céu! Além de tudo, HOJE é o Tempo favorável: é Quaresma!

E toda essa celeuma porque eu comentei que vou votar no Bolsonaro. Pois bem. Se você tem um candidato a presidente que tenha lutado abertamente durante esses últimos anos CONTRA a ideologia de gênero, o aborto, a pedofilia, a descriminalização das drogas, o terrorismo, o desarmamento, a invasão de propriedade, o assistencialismo, e que seja também a FAVOR da liberdade religiosa, da escola sem ideologias marxistas, da liberdade de expressão, que defenda a propriedade privada do brasileiro trabalhador, que proteja a instituição familiar, que seja a favor da meritocracia e que se proponha a punir severamente os criminosos soltos às ruas (sim, porque a prisão é salutar, é um purgatório na terra!), e que não tenha sido citado na Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro, se você tem um candidato assim, então me indique, porque é nisso que eu acredito. Se o Bolsonaro não é tudo aquilo que eu gostaria que fosse, pelo menos já é um começo - eu não conheço outro.

Enfim, antes de tudo eu sou CATÓLICA, amo meus irmãos e não desejo vê-los sofrendo num êxodo, abandonando suas famílias e tudo o que construíram durante toda a vida, como os venezuelanos que o PT apoiou e que hoje estão fugindo da fome, para o Brasil.  Se a revolução socialista fosse boa, a Igreja no seu Magistério nos orientaria para ela, não?

Mas, se você ainda acha que eu sou cabeça-dura e que estou errada, então faça o seguinte: reze por mim um Terço todos os dias, ou até um Rosário! Sim, e vá a missas diariamente por mim e por outras pessoas como eu, ofereça jejuns, sacrifícios e penitências por esta alma errante, e vamos ver no que dá. Vai que Deus atende, não é?

Agora, se você concorda com a Igreja "em partes, mas não em tudo", se você acha que a Igreja é mesmo "patriarcal" e "retrógrada" (provavelmente você sabe mais que o Magistério), e se você não é muito fã de rezar o Terço todos os dias, mas prefere a sua ideologia acima de tudo, então o problema é seu. Deixe-me comungar em paz.
__________________________________

segunda-feira, 26 de junho de 2017

A VERDADE

Em todos os aspectos da vida humana existe uma, e apenas UMA VERDADE. Podemos olhar uma situação de vários ângulos e formas, podemos formar opiniões diversas sobre determinada circunstância, mas a Verdade não depende de opiniões, a Verdade é (EU SOU).

Caso 1:

VERDADE: O ALEITAMENTO MATERNO É O MELHOR ALIMENTO PARA O BEBÊ.
1 - Eu sei disso e amamento.
2 - Não amamento porque não gosto.
3 - Não amamento porque simplesmente não quero.
4 - Não amamento porque preciso trabalhar.
5 - Eu amamento porque não tenho outro meio de alimentar meu filho.
6 - Não amamento porque não tenho leite.
7 - Não amamento porque não tenho paciência.
8 - Não amamento porque meus seios inflamam, não aguento a dor.
9 - Não amamento porque não acho necessário.
10 - Não amamento porque meus seios ficarão flácidos

Seja como for, o aleitamento materno continua sendo o melhor alimento para o bebê. Esta é a Verdade imutável (a ordem natural das coisas), e a mãe estará tanto mais distante da Verdade quanto mais alto falar o seu amor-próprio. Em escala de distância, seria assim:
1 – Eu sei disso e amamento. MAIS PRÓXIMA DA VERDADE.
5 – Eu amamento porque não tenho outro meio de alimentar meu filho.
6 - Não amamento porque não tenho leite.
8 - Não amamento porque meus seios inflamam, não aguento a dor.
4 - Não amamento porque preciso trabalhar.
7 - Não amamento porque não tenho paciência.
10 - Não amamento porque meus seios ficarão flácidos
2 – Não amamento porque não gosto.
3 - Não amamento porque simplesmente não quero.
9 - Não amamento porque não acho necessário. MAIS DISTANTE DA VERDADE.

A Verdade liberta! Quanto mais próximos da Verdade, tanto mais pura a nossa alma. Sabe aquela pessoa para quem “tudo dá certo”? Ou aquela pessoa que tem paz mesmo em meio aos sofrimentos? Pois é. Essa pessoa anda pelo caminho da Verdade, e todas as coisas e circunstâncias giram em torno dela harmoniosamente. Ou, em linguagem popular, “o universo conspira a favor”.

Caso 2
Quando você não conta para sua família uma verdade, por exemplo, que está com câncer, por temer o sofrimento de seus familiares, você não os está poupando de sofrimentos, mas impondo-lhes um peso a mais: eles perceberão que algo está estranho e não saberão o que fazer.  
Se você contar abertamente, a aceitação da Verdade, embora de início seja dolorosa, os libertará e tudo se tornará mais fácil. Do contrário, seus familiares, que poderiam tê-lo ajudado nesses momentos tão difíceis, ficarão de mãos atadas e, por fim, levarão um peso maior ainda, da sua doença que poderia ter sido amenizada e não foi.

Caso 3
Se você não conta para seus pais que está grávida por temer as acusações, e resolve abortar... será pior ainda. Eles descobrirão mais cedo ou mais tarde, e você nunca se livrará do peso de uma mentira, além de levar para o resto de sua vida o peso na consciência de ter impedido uma pessoa de viver.
Se você conta para eles, de momento haverão lágrimas, acusações, cobranças... mas a Verdade os libertará e logo retomarão o caminho da gravidez junto com você, em perfeita harmonia.

A Verdade é só uma – descubra-a! Sempre que surgir um impasse ou uma dúvida na sua vida, pergunte-se: “- Nesta situação, onde está a Verdade?“  Descubra-a, siga por Seu caminho e liberte-se.


“Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida.”
__________________________________

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Redentores com Jesus e Co-redentores com Maria

“Completo em minha carne o que falta à paixão de Cristo na Cruz” (Cl 1,24).

Isso, à primeira vista, pode parecer contraditório, pois a Paixão do Senhor foi completa por si mesma. Escreveu o Papa João Paulo II: “Do paradoxo da Cruz surge a resposta às nossas interrogações mais inquietantes. Cristo sofre por nós: Ele assume sobre si os sofrimentos de todos e redime-os. Cristo sofre conosco, dando-nos a possibilidade de partilhar com Ele os nossos sofrimentos. Juntamente com o de Cristo, o sofrimento humano torna-se meio de salvação. Eis por que o crente pode dizer com São Paulo: ‘Agora alegro-me nos sofrimentos que suporto por vós e completo na minha carne o que falta às tribulações de Cristo, pelo seu Corpo, que é a Igreja’ (Cl 1,24). O sofrimento, aceito com fé, torna-se a porta para entrar no mistério do sofrimento redentor do Senhor. Um sofrimento que já não priva da paz e da felicidade, porque é iluminado pelo esplendor da ressurreição” (Mensagem Dia Mundial do Doente, 11/2/2004). 

Se posso completar na minha carne o que “falta” à Paixão de Cristo na Cruz, então também posso completar, pela minha atitude orante, o que “falta” à intercessão de Maria pela salvação do mundo?


Se Jesus é o Redentor da humanidade, Maria é co-redentora.  Se unimos nossos sofrimentos aos sofrimentos de Cristo na Cruz, então também podemos unir nossa oração à intercessão de Maria pela humanidade.

Tenho a impressão de que quando Nossa Senhora de Fátima nos pede: “Rezai o Terço”, é como se não estivesse mais dando conta de advogar por tantos pecadores! Observe que Fátima é Aquela que PEDE: “Rezai o Terço pelos pecadores do mundo inteiro! Muitas almas vão para o inferno porque não há quem reze e se sacrifique por elas”. Fátima insiste para que a ajudemos nesse combate espiritual. Ela como que implora, pelos seus olhar entristecido e suplicante, que rezemos o Terço pela conversão dos pecadores. Olhe para os olhos dela e veja a sua angústia: Fátima PRECISA de nós, precisa que rezemos o Terço diariamente. Isso é absolutamente importante para Ela!

Sendo assim, ser devoto de Fátima é, antes de tudo, uma atitude de obediência filial. Rezar o Terço então não será apenas uma devoção mariana ou para pedir determinada graça, mas um dever de co-redentores, com Maria, na oração.


Jesus quer que unamos o nosso sofrimento à Sua Cruz redentora. 
O sofrimento, assim, encontra sentido e sofremos com alegria, 
sem enfados ou murmurações, porque é Cristo que sofre em nós.

Maria quer que unamos as nossas orações às Suas preces de intercessão. 
A nossa oração, assim, encontra sentido e rezamos com alegria, 
sem enfados ou murmurações, porque é Maria que reza em nós.

Assim, com Jesus e Maria, salvamos almas para Deus.
___________________________________________

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Sobre a Teologia da Libertação

“O cristão não pode ser, de forma alguma, insensível à miséria dos povos do Terceiro Mundo. Todavia, para acudir cristãmente a tal situação, não lhe é necessário adotar um sistema de pensamento que é anticristão como a Teologia da Libertação; existe a doutrina social da Igreja, desenvolvida pelos Papas desde Leão XIII até João Paulo II de maneira cada vez mais incisiva e penetrante. Se fosse posta em prática, eliminaria graves males de que sofrem os homens, sem disseminar o ódio e a luta de classes”.

Card. Ratzinger – Eu vos explico a Teologia da Libertação

sexta-feira, 14 de abril de 2017

A descida do Senhor à mansão dos mortos

De antiga Homilia no grande Sábado Santo (séc IV) - autor grego desconhecido.
– Da Liturgia das Horas – II Leitura do Sábado Santo.

Que está acontecendo hoje? Grande silêncio na terra. Grande silêncio e por isso solidão. Grande silêncio porque o Rei está dormindo: a terra atemorizou-se e calou, porque o Deus feito homem adormeceu e acordou os que dormiam há séculos. Deus morreu na carne e despertou a mansão dos mortos. Vai, antes de tudo, à procura de nosso primeiro pai, a ovelha perdida. Faz questão de visitar os que estão mergulhados nas trevas e na sombra da morte. Deus e seu Filho vão ao encontro de Adão e Eva cativos, agora libertos dos sofrimentos.

O Senhor aproximou-se deles, empunhando a cruz vitoriosa. Ao vê-lo, Adão, nosso primeiro pai, cheio de espanto bate no peito e clama para todos: “O meu Senhor está no meio de nós”. E Cristo respondeu a Adão: “E com teu espírito”. E, segurando-o pela mão, disse: “Acorda, tu que dormes, levanta-te dentre os mortos e Cristo te iluminará.

Eu sou o teu Deus que por tua causa me tornei teu filho; por ti e por aqueles que nasceram de ti, digo agora e, no meu poder, ordeno aos que estavam nos grilhões: Saí!, e aos que estavam nas trevas: Enchei-vos de luz!, e aos entorpecidos: Levantai-vos! A ti ordeno: Acorda, tu que dormes, porque não te criei para permaneceres acorrentado na mansão dos mortos. Levanta-te dentre os mortos, eu sou a vida dos mortos. Levanta-te, obra das minhas mãos; levanta-te, ó minha imagem, tu que foste criado à minha semelhança. Levanta-te, saiamos daqui; tu em mim e eu em ti, somos uma só e indivisível pessoa.

Por ti, eu, o teu Deus, me tornei teu filho; por ti, eu, o Senhor, tomei tua forma de escravo. Por ti, eu, que estou acima dos céus, vim à terra e até mesmo sob a terra; por ti, feito homem, tornei-me como alguém sem apoio, que jaz entre os mortos. Por ti, que deixaste o jardim, ao sair de um jardim fui entregue aos judeus e num jardim, crucificado.

Vê em meu rosto os escarros que por ti recebi, para restituir-te o sopro da vida. Vê as minhas faces esbofeteadas para restaurar, segundo a minha imagem, a tua beleza corrompida.

Vê em meus ombros a flagelação que suportei para retirar dos teus ombros os pesos dos pecados. Vê minhas mãos pregadas à árvore da cruz, para teu bem, como um dia estendeste a tua para o mal, na árvore do paraíso.

Adormeci na cruz e por tua causa a lança transpassou meu lado, como Eva surgiu do teu, ao adormeceres no paraíso. Meu lado curou a dor do teu lado. Meu sono vai arrancar-te do sono da morte. Sustive com a minha espada a que se voltava contra ti.

Levanta-te, vamos daqui. A ti o inimigo retirou da terra do paraíso; eu, porém, não volto a colocar-te no paraíso, mas num trono celeste. O inimigo arrebatou-te a árvore, símbolo da vida; eu, porém, que sou a vida, me uni a ti. Constituí anjos que, como servos, te guardassem; faço agora que eles te prestem a adoração devida a Deus.

Está preparado o trono dos querubins, alertas e a postos os mensageiros, disposto o tálamo e preparadas as iguarias; as mansões e os tabernáculos eternos estão adornados, abertos os cofres de todos os bens, e o reino dos céus foi preparado para ti antes dos séculos.”

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Sexta-feira Santa

Hoje é Sexta-feira Santa, dia da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Hoje é o dia em que, há quase dois mil anos atrás, Jesus, o Filho de Deus, morreu numa Cruz por nossos pecados. Hoje é o dia de pensarmos nEle, na sua morte, e também na nossa morte. Mesmo para quem não é cristão, a morte é um mistério, e uma certeza: todos nós, um dia, morreremos. Desde o primeiro minuto da nossa concepção, no ventre de nossa mãe, a morte é a única coisa certa que nos vai acontecer.

Tudo pode acontecer na nossa vida: as felicidades, os momentos de alegria, as vitórias, e também as incertezas, as decepções, os infortúnios, as doenças, e tudo isso passa. Um dia você ganha, um dia você perde. Num dia estamos tristes, no outro dia estamos felizes, e muitas das tristezas que vivemos podem ser superadas, ou até mesmo evitadas... menos a morte.

Não se comemora a morte de um familiar nosso com banquetes, músicas, bebidas, divertimentos. A morte é sempre um fato triste. E para nós, cristãos, Jesus é nosso Irmão, Filho de Deus Pai. Nós somos da família de Deus. Se você não entende isso, ao menos procure respeitar o nosso pesar neste dia. Não se cumprimenta com pêsames os familiares de alguém falecido? Quando um amigo seu falece, você faz festa com os seus familiares no dia do velório? Claro que não. Pois então, compartilhe conosco a nossa dor, ao menos por educação, apenas respeitando o nosso silêncio.

E hoje é um dia muito pesaroso para nós, o dia da Paixão e Morte do Deus que se fez homem, do NOSSO Deus, dEste que nos deu a Vida. Mas Ele, sendo DEUS, deu jeito para a morte: VENCEU a morte e ressuscitou - o único “Homem” que ressuscitou na história -, e nos abriu as portas da eternidade, porque Ele é DEUS!
Por isso, ofereçamos a Ele, neste dia, a nossa gratidão, unindo-nos ao Seu sofrimento na Cruz POR NÓS. Subamos ao Monte Calvário com Jesus, choremos com Ele, sintamos a Sua dor. Foi por nós! Silencie o nosso coração neste dia. Foi por nós, para nos redimir de nossos pecados, que ele sofreu e morreu numa Cruz. Unamo-nos a Ele com todo o nosso coração e nossa alma, entreguemos a Ele as nossas amarguras, os nossos sofrimentos, as nossas limitações, as nossas inquietações, entreguemos a Ele toda a nossa vida, tudo aos pés da sua Cruz, para que, no sábado da Ressurreição, unidos a Ele, ressuscitemos com Ele para uma vida nova!